Pages

25 de nov de 2010


saaendo do foorno ;*

0

Guiando seu homem

Como a mulher pode usar sua inteligência emocional para conduzir a relação

No tempo das nossas avós, era lugar comum dizer que a mulher é quem segura o casamento. Depois de todas as conquistas femininas no campo profissional, pessoal, amoroso e sexual, será que ainda cabe à mulher, se não segurar, conduzir o relacionamento amoroso? Afinal de contas, a vida nos deu inteligência emocional, jogo de cintura, sensibilidade e sexto sentido. Muitas mulheres usam tudo isso a seu favor e, claro, a favor do seu casamento. Saiba como.

Persuadir e guiar o homem pode ser mais fácil que tirar doce da boca de criança. A usuária do Bolsa de Mulher Carla Carvalho acha que a mulher tem um papel importante no casamento pelo fato de ser mais terna e sensível. "Infelizmente eu não sou assim", admite ela, ciente de que é responsável por muitas brigas do casal. "Acredito que com o tempo e com amadurecimento tanto meu como da relação, vou conseguir chegar nesse ponto", diz ela, sobre conduzir melhor o seu relacionamento. "A mulher tem que se impor, mas de maneira maleável, de forma que as coisas aconteçam da maneira que ela quer mas o homem fique achando que foi ele quem deixou", exemplifica.



Adão e Eva

"É a mulher quem dá as ordens, mas para o resto do mundo incluindo para os homens , é ele quem manda", explica, garantindo que o papel da mulher como condutora da relação não é de hoje. "Por que Adão comeu o fruto proibido? Porque Eva soube convencê-lo! Mas ele achava que comeu porque quis", diz ela.

Casamento Grego


No filme Casamento Grego, Toula conta para a mãe que quer trabalhar, mas sabe que o seu pai jamais iria permitir. É nessa hora que ela e a mãe tramam uma estratégia para conduzir o raciocínio do pai de modo que ele tenha certeza de que foi ele quem teve a ideia de Toula conseguir um trabalho. O plano dá certo, todos ficam contentes e a cena é muito engraçada.

É mais ou menos assim que pensa a usuária da rede social do Bolsa de Mulher Frank, que acha que a mulher tem que ser poderosa, sem jamais perder a ternura. "Ela nunca pode perder a feminilidade e deve sempre dar uma de inocente, meiga e desentendida, pois o homem adora ser dono da situação", diz ela, favorável a deixá-lo pensando, e só pensando, que dá a palavra final. "Nós deixamos ele pensar que manda, mas no final das contas quem manda é você", diz.
Para a usuária do Bolsa Srta. Torres, esse negócio de papel de homem e papel de mulher na relação não tem nada a ver, mas cada um tem, sim, as suas habilidades. "Não acho que exista função de homem ou de mulher. Ambos são responsáveis por manter o relacionamento", diz ela, reconhecendo, entretanto, que a mulher tem mais habilidade para conduzir a relação. "O que acontece é que o homem ‘mete os pés pelas mãos' com maior frequencia e a mulher consegue lidar com as dificuldades, ou mesmo evitá-las, por ter mais jogo de cintura e ‘fatores de convencimento'", diz ela.


“Logicamente que a mulher, por suas características femininas, tem algumas facilidades que os homens não têm e vice-versa. Isso sim é o casamento, a completude que um dá ao outro”
 

Segundo a psicóloga Beatriz Amaral, a ideia de que a mulher segura o casamento está ligada ao fato de elas sempre terem sido responsáveis pela educação dos filhos e pela casa, além da submissão irrestrita ao marido. "O assunto casamento está ligado à família, à boa convivência e à harmonia do lar, sendo que estas responsabilidades sempre foram dadas exclusivamente às mulheres. O homem era o provedor, a segurança, a proteção, como se a mulher fosse a emoção e o homem a ação", explica. Para Beatriz, os homens foram acostumados a lidar com os aspectos práticos e as mulheres, com os afetivos. Resultado: nos tornamos experts no assunto. "Por vezes a mulher consegue aguentar mais os problemas do relacionamento, já que na maioria das vezes ela consegue lidar melhor com as emoções".

Mas nada de ficar com esse peso nas suas costas. A psicóloga lembra que um casamento é feito por duas pessoas e não podemos responsabilizar um ou outro pelo seu sucesso ou fracasso. "Logicamente que a mulher, por suas características femininas, tem algumas facilidades que os homens não têm e vice-versa. Isso sim é o casamento, a completude que um dá ao outro", afirma Beatriz Amaral, sublinhando ainda que os papéis masculinos e femininos estão mudando. "Hoje estamos caminhando para um mundo onde as mulheres estão aprendendo a ser um pouco mais masculinas e eles ater um pouco do feminino em suas personalidades, o que, na minha opinião, é muito positivo para ambos", finaliza.

 

 

0 comentários:

Postar um comentário

ée meeu, ée seeu, ée nosso ;*